De bike, vejo minha aldeia…

De bike, vejo minha aldeia…
De carro, passa rápido, vejo pequeno.
De bike, a aldeia é grande como eu,
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura…

……………………………………………………….

DA MINHA ALDEIA vejo quanto da terra se pode ver no Universo….
Por isso a minha aldeia é grande como outra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura…

Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista a chave,
Escondem o horizonte, empurram nosso olhar para longe de todo o céu,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a única riqueza é ver.

Alberto Caeiro, em “O Guardador
de Rebanhos”
.

 

Image

Image

Image

Image

Image

Image



 

Anúncios

Olaria – artesanato cerâmico

Um povoado chamadao Saúde na pequena cidade Santana do São Francisco em Sergipe, às margens do Rio São Francisco. Apenas o ruído dos tornos afinado com a concentração de mãos habilidosas denunciam as atividades dos artesãos que repetem com precisão as mesmas dimensões em centenas de peças iguais, diariamente, na pequena olaria.

O forno aquece o barro úmido dando-lhe resistência e cor.